CAPS Florescer promove conexão com a natureza e reflexões sobre o meio ambiente

22 - 04 - 2024- Franca

Franca Franca

A Fundação Espírita Allan Kardec abriu as portas no sábado (20/04) para receber a comunidade no Bosque Beija-Flor, localizado no interior da instituição, no Bairro Cidade Nova, em Franca.

Em uma manhã agradável e preenchida por atividades diversificadas, os convidados participaram do Workshop em prol da Conservação Hídrica e Meio Ambiente, promovido pelo CAPS III Florescer em parceria com a própria Fundação e a Prefeitura Municipal de Franca.

O público, de crianças a idosos, foi recepcionado com um café da manhã regado a frutas e quitutes, acompanhado de música ao vivo.

Na sequência, foram propostas atividades físicas e de conexão com a natureza, exaltando a importância dos cuidados com a saúde mental e meio ambiente, além da apresentação das Oficinas Inspiração, da Fundação Allan Kardec, e da aula de compostagem orgânica.

Conservação

“Este evento tem o objetivo de abrir a instituição para a sociedade e aproximar a população do trabalho realizado pela Fundação Allan Kardec. O tema é conservação hídrica e do meio ambiente, e tem tudo a ver com o trabalho que a gente realiza em saúde mental, porque estamos falando da água, que é um elemento essencial para a vida na terra”, disse João Roberto, diretor administrativo da Fundação, representando o presidente Mario Arias Martinez e demais membros da diretoria.

Oficinas Inspiração

Durante o workshop, a terapeuta ocupacional Renata Vieitez, coordenadora das Oficinas Inspiração, apresentou o projeto que visa a inclusão social pelo trabalho através de oficinas de geração de renda para pessoas em tratamento na área de saúde mental.

Ao todo, a proposta contempla um total de dez oficinas e três delas já estão em atividade.

Há a Oficina Agrícola, com cultivo de hortaliças e frutas orgânicas, que são vendidas durante a semana na porta da Fundação Allan Kardec. A outra é a Oficina de Costura em Couro, em que os oficineiros fazem peças de artesanato e as vendem. E a terceira é a Oficina de Reciclagem de Eletrônicos.

Lixo eletrônico

Adilson Marcine, monitor desta área, explicou para o público presente a importância de doarem eletrônicos que não usam mais ou estão estragados.

No projeto, os aparelhos são desmontados e as peças vendidas. Ele destacou que o projeto é uma forma de contribuir com a inclusão social dos participantes, gerar renda para eles e preservar a saúde e o meio ambiente. Passam pela oficina, em média, duas toneladas de lixo eletrônico mensalmente.

Toda renda obtida com a venda dos produtos orgânicos, artesanatos e eletrônicos é dividida entre os oficineiros.

Mandala

Uma das oficinas ministradas no workshop foi a confecção de uma mandala viva. Para esta atividade, os participantes e profissionais presentes fizeram uma caminhada pelo Bosque Beija Flor e recolheram elementos da natureza, como flores, folhas, galhos e sementes, e criaram uma minimandala, que puderam levar para casa.

Gislaine Félix, psicóloga do CAPS III Florescer, conduziu a atividade e explicou que a mandala expressa o inconsciente das pessoas. “Quando a gente constroi uma mandala, a gente está colocando para fora o nosso inconsciente. Hoje estamos trabalhando o nosso inconsciente com o  meio ambiente”.

Horto de plantas medicinais

Peter Gustavo Costa apresentou aos convidados o novo projeto do Horto de Plantas Medicinais da Fundação Allan Kardec. O trabalho, já em desenvolvimento, integra o CPSM (Centro de Promoção de Saúde Mental), lançado no fim do ano passado pela instituição.

Os produtos terão uso terapêutico e futuramente serão matéria-prima de uma farmácia para produção de complexos fitoterápicos.

Compostagem ao vivo

O engenheiro ambiental Guilherme Bonfante ministrou a oficina de compostagem, que é um processo natural de decomposição de matéria orgânica por microrganismos, resultando em um produto rico em nutrientes, conhecido como composto orgânico.

Além de explicar as vantagens do processo, o especialista fez uma demonstração prática da separação de resíduos orgânicos e a compostagem. As cascas das frutas consumidas no café da manhã do evento foram utilizadas nesta parte da oficina, juntamente com serragem, húmus e outros materiais.

No final, o público foi presenteado com mudas de plantas medicinais de hortelã, alecrim, arruda, marcelinha, manjericão e melissa.

Coordenação

A psicóloga Eliane Matheus Bonfante, coordenadora do CAPS III Florescer, avaliou como positivo o evento.

“O Workshop foi surpreendente, ficamos muito felizes com a presença dos nossos pacientes e da comunidade e a interação de todos nas atividades propostas. Quisemos ressaltar neste evento a importância de pensarmos em saúde mental, no meio ambiente e na vida”.

Segundo ela, “para pensar em saúde mental precisamos pensar na nossa vida, no que estamos vivendo, no que nos incomoda e em como a gente pode trabalhar e pensar em viver da melhor maneira possível. Foi maravilhoso”, finalizou.


Fonte - Jornal da Franca
Fonte de imagem - Jornal da Franca