Como evitar as temidas estrias na gravidez

10 - 12 - 2015-

Uma das principais preocupações estéticas das futuras mães na gravidez são as estrias. As temidas marcas aparecem principalmente no abdome e nos seios, regiões onde há maior estiramento da pele por conta dos quilos ganhos. Mas essa não é a única origem do problema! Durante o período gestacional ocorrem alterações hormonais que fazem com que os fibroblastos (células que produzem a elastina e o colágeno da pele) sofram um desequilíbrio, tornando-a mais fina e suscetível ao estiramento de suas fibras elásticas. Tomar sol em excesso também piora a situação, uma vez que a radiação solar possui efeito oxidante, que destrói o colágeno.

Por isso, além de controlar o ganho de peso, a hidratação da pele deve receber atenção extra durante os meses de gestação, como você já deve ter ouvido falar. Para manter a elasticidade da região abdominal, a dica é abusar de massagens com óleos vegetais, como o de amêndoas doces ou semente de uva, e cremes com princípios ativos como D-Pantenol, colágeno, ácido lático e vitamina E. Mas atenção: produtos à base de ureia acima de 3% são desaconselhados para as grávidas, pois podem atravessar a barreira placentária, prejudicando o crescimento e desenvolvimento do bebê. Por último, não custa lembrar, evite sair ao ar livre sem protetor solar.

Você tomou todos os cuidados e, mesmo assim, ficou com algumas marquinhas no pós-parto? Vai ficar feliz de saber, então, que hoje existem tratamentos capazes de melhorar o aspecto da pele no local, diminuindo o número de estrias ou até mesmo fazendo com que desapareçam. Um dos mais modernos é micro agulhamento de ouro associado à radiofrequência e ao drug delivery, técnica que facilita a entrada e potencializa a penetração de ativos na pele. Ao “agredi-la”, desencadeia-se um processo de renovação celular e, consequentemente, uma sensível redução do problema. A sua autoestima agradece!
Fonte - itmãe - Uol
Fonte de imagem - itmãe - Uol