Papai Noel gigante transforma casa em ponto turístico em Barretos

26 - 12 - 2019- Outras Cidades

Outras Cidades Outras Cidades

Uma casa no centro de Barretos virou ponto turístico desde que o dono resolveu fazer uma decoração de Natal inusitada na entrada. Há 20 anos, o contador Daniel Bampa Nétto, de 80 anos, enfeita a fachada com um Papai Noel gigante.

O que chama atenção é que o divertido bom velhinho na Avenida Vinte e Um fica com metade do corpão para fora da varanda do sobrado, e desperta a imaginação de crianças e adultos. “Natal é a melhor festa do ano”, diz Daniel.

Ideia

Segundo o contador, a ideia de colocar o Papai Noel inflável no jardim surgiu durante um rodeio na cidade. A decoração foi inspirada no monumento ao peão, estátua com 27 metros de altura instalada no Parque do Peão.

O artista plástico Valter Corcino, responsável pela confecção do boneco, conta que Daniel o procurou, pois queria fazer algo especial na véspera de Natal.

A primeira neta dele tinha acabado de nascer. Foi quando o artista, que já havia realizado projetos parecidos, pensou em executar o Papai Noel gigante. “A princípio, a ideia era fazê-lo com ferragem ou fibra, mas é pesado. Aí a gente fez o inflável, com muitos retalhos de nylon de paraquedas. A segunda parte foi vestir esse inflável. Deu muito certo”, explica Valter.

Noel famoso

O que os dois não esperavam era que o boneco fosse transformar a casa no cartão-postal de Barretos no fim de ano. Curioso é que a estrutura só tem o formato do quadril avantajado e das pernas do bom velhinho.

Desde que passou a montá-lo, Daniel já teve várias experiências inesperadas.

A mais recente foi quando um ônibus com cerca de 40 adolescentes parou em frente à residência para que eles pudessem ver a atração. “Me disseram que o ônibus levou a molecada que frequentava a igreja, porque a senhora que trabalha lá perto de casa sabia do Papai Noel, e queria levar eles até lá”, diz.

Nesta época do ano, é comum ver gente de todas as idades paradas em frente ao portão tirando fotos.

Em alguns casos, Daniel permite que a criançada entre para vê-lo mais de perto. “Eles estão acostumados com Papai Noel do tamanho da gente, mas ele dá a altura de duas, três pessoas. As crianças gostam muito, analisam, comentam. Querem ver a cara dele”, afirma.

O contador vem de uma família humilde. Ele diz que, quando criança, o dinheiro mal dava para comprar presentes. “De certa forma, a decoração é uma compensação de tudo aquilo que a gente não teve. Eu penso nas crianças de hoje.”

Retirada causou comoção

Há quatro anos, o contador e o artista plástico se reuniram para rediscutir a decoração. Queriam fazer algo novo, mas a ideia não agradou a população de Barretos. Segundo eles, até delegados e juízes entraram em contato para falar que os moradores estavam enfurecidos com a possível falta do Papai Noel.

Se depender de Daniel, o bom velhinho ainda será mantido por muito tempo no jardim. “Eu gosto muito. Vale muito a pena, vale tudo.”

 


Fonte - Revide
Fonte de imagem - Revide